segunda-feira, 25 de junho de 2012

Concertos ao entardecer

Neste domingo, tive a oportunidade de conferir mais uma edição do projeto Concertos ao Entardecer, organizado pela Universidade de Caxias do Sul em parceria com a Prefeitura Municipal de Caxias do Sul. O evento aconteceu na Capela Santo Sepulcro, as 18h.
E nesta vez, o concerto foi especial, para eu particularmente, um dos melhores organizados aqui em Caxias. Ao som do Quinteto Persch, formado pelos acordeonistas Fernando Ávila, André Machado, Daniel Castilhos, Luciano Rhoden e Adriano Persch, se encerrou mais um domingo. Trazendo um repertório um pouco diferente da música regional do Rio Grande do Sul, mostraram para quem pouco conhece o instrumento que tanto adoramos, a versatilidade do acordeon, executando um repertório erudito.
O concerto foi fantástico, incrível. Muito bom! Para quem toca acordeon é uma aula. E quem gosta de uma boa música vale a pena conferir sempre!
Tive a oportunidade de trocar algumas palavras com o Adriano e demais componentes do Quinteto, após o recital, já aproveitando, registramos o momento. (foto abaixo)



sexta-feira, 8 de junho de 2012

E o frio está chegando!

 Não poderia deixar de compartilhar com vocês estas fotografias que registrei aqui em casa hoje pela manhã! Está muito frio na serra gaúcha, o inverno chegou com tudo.
Mas é bom! Daqui uns dias nos acostumamos e quando a gente se der conta passou mais um inverno.
A geada foi fortíssima. Quando registrei estas imagens, o relógio marcava quase 8h da manhã, o sol já estava radiante, e nada do gelo derreter.
E fica a dica: pisar na geada é muito bom, a gente sente menos frio!




E assim foi em Vila Seca

Registrando o show do domingo passado, onde estive tocando no distrito de Vila Seca - Caxias do Sul, na 5ª Festa do Pinhão. Realizei um show acústico, onde meu acordeon ganhou o acompanhamento do violão de Titi.
Sempre fico muito feliz em tocar para a nossa gente, principalmente para o povo hospitaleiro da serra gaúcha. Foi o que não faltou neste dia, gente boa que me acolheu com muito carinho, e prestigiaram o meu trabalho.
É dessa forma que levamos adiante a arte de tocar, de mostrar aquilo que amamos e que sempre estará presente em nós: a música.
O bacana de toda essa festa, é que no meio do parque de exposições, havia um fogão para sapecar pinhão, e o povo podia degustar. O encantador foi que na frente do palco tinha uma carreta, isso lembra parte da história da minha familia, em que meu bisavô tinha até carteira de carreteiro :)

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Conferindo a agenda do Fim de Semana...

No próximo domingo, dia 03 de junho, show acústico com Jéssica Thomé na Festa do Pinhão de Vila Seca (Caxias do Sul) as 20h.
Foto: No próximo domingo, dia 03 de junho, show acústico com Jéssica Thomé na Festa do Pinhão de Vila Seca (Caxias do Sul) as 20h.
E no sábado dia 02 tem Encontro de Muleiros da Serra Gaúcha em Fazenda Souza.
E no sábado dia 02 tem Encontro de Muleiros da Serra Gaúcha em Fazenda Souza. Informações na postagem anterior.


Neste eu vou!

4º Encontro de Muleiros da Serra Gaúcha

No dia 02 de junho, próximo sábado, acontece o 4° Encontro de Muleiros da Serra Gaúcha.
A cavalgada sai às 9h de Fazenda Souza com destino à Vila Seca, passando pelos Campos de Pouso Alto. Na chegada, acontece a inauguração do “Marco da Rota dos Tropeiros” e o descerramento da placa comemorativa do Centenário da Capela do Divino que homenageia os tropeiros açorianos que difundiram a devoção ao Divino Espírito Santo. Na ocasião também será aberta oficialmente a 5° Festa do Pinhão da Vila Seca.

Projeto Tropeiro Brasil
O trabalho de resgate às origens desenvolvido pela Fundação faz do Rio Grande do Sul um integrante do projeto “Tropeiro Brasil”, ao lado de outras associações dos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.
O projeto é coordenado pela ONG NATA (Núcleo dos Amigos da Terra e da Água) em parceria com as Universidades de Girona, na Espanha, e Coimbra, de Portugal. O objetivo é reunir documentos que resgatem a importância do tropeirismo para o desenvolvimento econômico e cultural do país e fazer com que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) o reconheçam como bem imaterial e cultural da humanidade.

Fonte: http://ditta.com.br/n4/?p=2899